Problemas articulares em cães e gatos

 Prof. Dênis Rodrigues Prata
Médico Veterinário – CRMV SP 21506.

Como estamos no mês do esportista nada melhor que falar sobre cães e gatos e seus problemas articulares, afinal, praticar esportes de maneira inadequada pode causar sérios problemas articulares, não é mesmo? Confira agora algumas perguntas e respostas com participação especial do Prof. Dênis Rodrigues Prata, Médico Veterinário – CRMV SP 21506.

  • Graduado em Medicina Veterinária pela UEL;
  • Realizou mais de 20 cursos, treinamentos e credenciamentos nos EUA, Itália, Alemanha, Croácia, Singapura, México, Argentina, Suíça e outros países; 
  • Professor e coordenador do Curso de Especialização em Ortopedia de pequenos animais da ANCLIVEPA-SP;
  • Ministra Cursos de Ortopedia Veterinária no Brasil e América Latina;
  • Palestrante convidado em inúmeros eventos no Brasil;
  • Atual Presidente do Conselho Administrativo da Anclivepa/SP;

1. Quais as principais doenças articulares que acometem cães e gatos?

As principais doenças que acometem cães e gatos são bem diferentes. O cão tem uma característica específica e uma biomecânica de movimento muito diferente do gato. Então existem muitas doenças que acometem mais cães e outras mais gatos. Tradicionalmente as doenças articulares são mais vistas ou mais facilmente identificadas em cães. Falar sobre doença articular é um pouco complexo, porque, teoricamente, as doenças podem acontecer em ambas as espécies, porém é mais comum trazer problemas para a vida do cão, mas o que vai variar mais é com relação a raça. Então, as principais doenças articulares que acometem cães, são displasias no quadril e também alguns processos de crescimento, que causam uma incongruência, um mal encaixe, resultando em uma doença articular. Os cães têm bastante doenças articulares nos cotovelos, que incluem também malformações dentro da articulação. E com certeza absoluta, doenças articulares dentro do joelho, que talvez hoje seja a mais comum. Algumas doenças dentro do joelho como, doença do ligamento cruzado, luxação de patela, OCD, que em um segundo momento, desenvolve uma doença articular. Já nos gatos, o principal problema articular ocorre na articulação do quadril, mas eles podem também desenvolver doenças no joelho, ombro e cotovelo.

2. Quais os principais sintomas das doenças articulares?

Os principais sinais clínicos de doenças articulares são: claudicação (mancar), relutância em se levantar e correr e lambeduras e mordeduras nas articulações.

3. Existem raças de cães e gatos que são mais propensas a apresentarem problemas articulares?

Sim, cada raça tem predisposição a ter alguns problemas. As doenças articulares são mais comuns em raças que chamamos de condrodistróficos: pugs, bulldogue francês, bulldogue inglês, lhasa apso. Porém os estróficos, como labrador, pastor alemão e rottweiler também podem ter doenças articulares.

4. Existe tratamento para doenças articulares?

Sim, muitos tratamentos. Hoje em dia o que mais evoluiu na medicina veterinária e com laboratórios como a Centagro, é a evolução com os tratamentos clínicos, com medicações. O tratamento das doenças articulares pode incluir suplementos, medicamentos, muitas vezes aplicações intra-articulares, fisiatria (médico veterinário fisioterápico), perda de  peso,  rotina de exercícios e terapias alternativas. O mais importante é que o tutor procure um médico ortopedista para que ele faça um diagnóstico correto e possa traçar um tratamento multimodal o quanto antes. 

5. Cães e gatos têm sintomas articulares iguais? Se não, quais as diferenças?

Como já falamos um pouco acima, os sinais clínicos são muito diferentes. O cão tem o sinal clínico mais clássico que é mancar, dificuldade para se levantar, demonstra dor no exame clínico. No gato é muito mais difícil, muita gente diz que eles não têm doenças articulares, mas existem estudos americanos que mostram que gatos a partir dos 9/10 anos, quase 90% deles têm algum grau de doença articular, porém os gatos manifestam menos, eles nos mostram menos sinais clínicos, se adaptam melhor à doença articular. Quando é muito grave, eles apresentam lambeduras na região, diminuem o apetite, emagrecem, param de limpar e subir nas coisas como de costume, ou seja, mudam o seu comportamento. Enfim, os sintomas dos gatos são muito mais sutis, por isso o exame ortopédico no gato precisa ser detalhado.

6. Os problemas articulares só acometem cães idosos?

Não. Todo cão idoso tem algum grau de doença articular degenerativa. Mas, hoje em dia o que a gente tem tido são cães muito jovens, de um a um ano meio, que nascem com problemas genéticos, hereditários, ou por algum trauma que tem uma doença primária, por exemplo luxação de patela medial.  O animal nasce com algum problema que  se não tratado precocemente,  vai predispor a articulação do joelho a ter uma doença articular muito cedo. Então é normal encontrar graus variados de doenças articulares em cães de 7, 8, 9, 10 anos. A doença articular degenerativa é comum do idoso, o que não é comum é a quantidade de doentes jovens.

7. Doença articular tem cura?

A maioria dos autores dizem que as doenças articulares não têm cura, mas sim tratamento: multimodal, perda de peso, fisioterapia, medicamentos, cirurgias, para tirar a dor o máximo possível para que o animal possa tentar melhor qualidade de vida. A cura é meio controversa, existem trabalhos que apresentam drogas pioneiras no mundo em estudo, que mostram parar com a doença articular. Teoricamente, a cura de uma doença articular seria refazer a articulação com uma prótese. Mas, algum medicamento ou  cirurgia que estacione as doenças articulares é muito difícil!

8. O que devemos fazer para prevenir que nossos pets sofram de problemas articulares?

Buscar um veterinário no mínimo uma vez ao ano (clínico geral), manter as vacinas em dia, controlar o peso, oferecer uma boa alimentação, equilibrada (ou consultar um nutrólogo veterinário). Os animais desde jovens precisam fazer exercícios controlados, evitando o sobrepeso. Mas é preciso evitar o exagero, o exercício é importante mas na dose certa.

9. Existe algum tipo de exame que possa ser feito pelo menos uma vez ao ano para uma avaliação articular? Se sim, a partir de qual idade?

Isso é muito relativo, pois depende do estado geral do animal em relação a suas articulações. Existem estudos e trabalhos mostrando alguns exames com marcadores biológicos que conseguem saber se o animal tem predisposição às doenças articulares, mas isso ainda é muito novo e não existe no Brasil. Eu diria que a previsão é muito complexa, a não ser que o animal tenha alguma doença de nascimento. Agora se o animal é saudável, não precisa fazer exames anuais, mas sim levá-lo ao clínico geral anualmente e a partir dos 5/6 anos, a cada seis meses. Uma vez identificado algum problema articular, aí sim existem exames seriados. Então um cão que tenha um problema no joelho, por exemplo, podemos fazer uma avaliação anual, no mínimo, com exames radiográficos (mais comuns para controle de doenças articulares) ou ultrassom articular. O mais importante que um exame complementar, é a avaliação de um ortopedista.

Gostou? Compartilhe com seus amigos

WhatsApp

Artigos mais lidos

Conheça nossa linha completa de Suplementação Nutricional